sábado, 19 de junho de 2021

A casa que morei...


 Oi gente! Parece um tema recorrente: casas... pode ser que seja, mas a casa de hoje é especial, era a casa que eu morava com meus pais e meus irmãos no bairro do Alecrim, que é um bairro comercial muito conhecido aqui em Natal, mas isso faz tempo. A casa não existe mais, sumiu no tempo... e hoje tem um prédio no lugar. Mas na minha memória ela ainda existe!

Na rua que morei só tinha casas dos mais diferentes tipos e tamanhos. A nossa casa tinha um jardim, que eu adorava cuidar, com um portão baixo, dois becos laterais com chão de cimento, um quintal enorme, três quartos, três salas, uma cozinha e uma área de serviço enormes e dois quartinhos a mais que nós chamávamos de quartinho e despensa. Na calçada tinha um pé de acácia que era uma beleza de se ver quando ficava cheio de flores amarelas. No quintal tinha várias árvores frutíferas: bananeiras, goiabeiras... pé de pinha, romã, graviola, carambola. Brinquei muito neste quintal e nos dois becos laterais onde eu andava no meu velocípede e levava muitas topadas no dedão do pé! Ai! E quando chovia forte era hora de tomar banho de chuva nas goteiras... e o som da chuva no telhado? A água sempre teve efeito calmante sobre mim.

 Lembro que no fim do ano a casa ficava um brinco, toda arrumada para o Natal. O piso da casa era trabalhoso pra se manter bonito, tinha que ser encerado, com cera branca ou com cera vermelha, que a gente passava com um pano e depois de secar vinha a enceradeira pra dar brilho. As cortinas eram lavadas e em alguns móveis era passado óleo de peroba. No fim da faxina todos estavam cansados, mas eu adorava ver tudo brilhando. Antes disso papai providenciava a pintura das paredes.

Éramos eu, meu pai, minha mãe, meu irmão mais velho e mais duas irmãs, eu era a caçula. Quando minha mãe faleceu uma de minhas irmãs já era casada, depois que os outros casaram e foram embora da casa, só ficou eu, papai e Letícia, a gata. Então papai faleceu com mais de 90 anos e aí foi minha vez de ir embora pra um apto, levando a gata junto. Fui a ultima a deixar a casa. A vida continua e precisamos seguir sempre em frente apesar dos pesares e do tempo implacável que muda tudo.

Recordar também é viver!


Aproveitem seu dia! Cuidem-se!


24 comentários:

  1. Recordar faz parte da vida!
    http://retromaggie.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Que lindas tuas palavras e derramaste emoções falando da tua casa. Elas nos marcam,não é? Adorei! E a imagem iniocial linda também! beijos, chica

    ResponderExcluir
  3. Memories bring back good and not so good times. We still remember and that is wonderful. Thanks for sharing your memories about living in the family house. Have a wonderful Sunday.

    ResponderExcluir
  4. Um lindo texto, com recordações muito boas, Ane. Gostei demais e pude lembrar de algumas coisas da minha casa em Recife também, tipo: óleo de peroba, pintura da casa no fim do ano e banho de chuva. Lembrar assim como vc fez é muito saudável.
    Bjs e boa noite.

    ResponderExcluir
  5. Such a beautiful memories dear Ane! I felt myself in your garden and watched fruits trees. Amazing. Have a great day.

    ResponderExcluir
  6. Como tu dices recordar es vivir y mientras uno siga recordando a los seres que ama. Ellos seguirán contigo. Te mando un beso

    ResponderExcluir
  7. Oi Ane, lendo suas lembranças nesta bela descrição da casa, fui me integrando e me revendo numa casa grande com escadas que dava para a cozinha de portas para o quintal frutífero e horta, galinheiro e viveiro, até um curralinho onde ficava as vezes dois cavalos. Feliz de nós que tivemos casa e quintal. Lembranças boas e saudosas, mas que inspiram sempre. O banho de chuva era minha diversão apesar da mãe raiar o tempo todo, sobre resfriar. Pela descrição o tempo dos anos 60 e 70.
    Amei vir e ler.
    Um bom domingo com paz e alegria e feliz semana amiga.
    Bjo no coração.
    E a gata?

    ResponderExcluir
  8. Belíssima descrição. Parece que estive lá, fez-me recordar a casa dos meus avós.
    Beijinhos
    Coisas de Feltro

    ResponderExcluir
  9. Such beautiful prose. Thanks for sharing this memory. I have reoccuring dreams of my grandmother's house. First they started while I was still living with her in high school. Back then it was haunting. Even still they are still a bit of horror and yet not. That stucco house no longer exist. Oddly, someone bought that old house and moved it. I hope it has lots of happy memories where ever it went.

    ResponderExcluir
  10. Such a touching memory. Thanks so much for sharing it. All the best to your wonderful creativity!

    ResponderExcluir
  11. É isso mesmo Ane, recordar também é viver. Lindas e sentidas lembranças, eu também adoro recordar os meus tempos de criança e sonho muitas vezes com a casa onde fui criada.
    Bom domingo e uma excelente semana.

    ResponderExcluir
  12. Essas lembranças ricas de nossos momentos são tão boas :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  13. Tão bom recordar!
    E eu que já gostava de ter a minha casa já já

    ResponderExcluir
  14. A casa da nossa infância deixa-nos sempre muitas saudades. Volta e meia lá sonho com a minha...

    Boa semana!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  15. Bom dia
    A casa onde morei também me deixaram boas recordações na infância e já na idade adulta. Era tão feliz e não sabia! :)
    ~~
    Queria ser, muito mais, que um Ser
    ~~
    Beijos, e uma excelente semana.

    ResponderExcluir
  16. memories are good and bad. They all belong to us:)

    ResponderExcluir
  17. Oi Ane que bela e gostosa maneira de descrever sua história nos fazendo lembrar tbm da nossa. Parabéns tudo bem colocado até a imagem da casinha com o cair da chuva. Amei conhecer mais um pouquinho de você. Um lindo poema. Sempre inspirada. Parabéns poetisa. Bjs querida. Amo vc é Deus ainda mais

    ResponderExcluir
  18. Olá, querida amiga Ane!
    Recordar da casa que nascemos é bom sobretudo quando temos boas lembranças.
    Tenha uma noite abençoada!
    Beijinhos carinhosos e fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  19. Amei como recordou sua casa!
    Lembrei da casa que vive com meus pais e irmãos, essas lembranças são apenas nossas.
    As vezes dá um sentimento muito louco, vontade que tudo volte naquele passado, naquele lugar!
    bj

    ResponderExcluir
  20. Recordar é viver mesmo que esse recordar seja melancólico. Recordar a casa onde se viveu em criança deixa sempre um aperto de alguma angústia a fazer doer o peito. Também gosto de recordar.
    .
    Cumprimentos poéticos
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderExcluir
  21. Recordar é viver! Como é bom recordar bons momentos.

    Boa semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  22. Seu relato me trouxe saudade da minha própria vida, Ane!

    Me lembrei da casa que vivi na minha infância no interior de Minas Gerais, quintal grande, família grande.

    Recordar é muito bom!

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e comentário, assim que for possível passarei em seu blog, não esqueça de deixar o seu endereço! Beijos nas bochechas!

Paginação numerada



Subir