08/06/2014

O fim de mais um conto


Parte 2- O Final

Aline correu pra perto da avó preocupada:

- Calma vó! Desculpe! - disse ela.

Dona Filó caiu sentada na cadeira e respirou fundo.Aos poucos se acalmou.As duas foram para sala,onde Dona Filó sentou-se em sua poltrona favorita perto da janela que dava para o jardim.

- Está bem! - disse depois de um tempo em silêncio - Eu vou lhe contar tudo.Sei que você não vai sossegar enquanto não souber a verdade.Mas prepare-se Aline, pois a história não é bonita.

Aline balançou a cabeça afirmativamente,os olhos brilhavam de curiosidade.

- Minha Avó Filomena, tinha uma personalidade muito forte. Meu bisavô sempre tentou controlá-la sem sucesso.Filomena fazia o que queria.E não adiantava castigá-la, pois a cada castigo ela se revoltava mais.Um dia Filomena arranjou um namorado:Firmino.O rapaz se parecia com ela no jeito de ser,gostava de desafiar o mundo,e era muito mais rebelde que Filomena.Esta dizia que tinha encontrado sua alma gêmea.Meu bisavô, é claro, não gostou nada da novidade, e tratou de impedir que eles se encontrassem.Ele tinha um pretendente pra Filomena,mas esta não aceitou de jeito nenhum o noivo arranjado pelo pai.Meu bisavô gritou,ameaçou Firmino,mas nada nem ninguém impedia que eles se encontrassem.O escândalo começou no dia que Filomena não pôde mais esconder: estava grávida.A casa quase veio abaixo neste dia.Meu bisavô expulsou Filomena de casa,dizendo que ela não era mais sua filha, que ia deserdá-la e que nunca mais queria vê-la.Filomena e Firmino se refugiaram numa pensão de freiras,pois Firmino era orfão e não tinha família. - Dona Filó faz uma pausa e suspira.

- Mas, meu bisavô nunca se recuperou do escândalo.Tinha ódio mortal de Firmino.Algumas pessoas tentavam justificar isso: Filomena era a única filha mulher e para meu bisavô, Firmino tinha destruído todos os planos que tinha feito para ela.O fato é que, uma noite Firmino não voltou pra pensão.Ficou desaparecido por quase uma semana.Todo mundo já pensava que ele tinha ido embora, e abandonado Filomena a sua sorte.Mas a verdade era muito pior: Firmino foi encontrado morto com vários tiros no peito.Até hoje, ninguém nunca provou,mas todos sabiam que tinha sido meu bisavô que mandara matá-lo.Quando minha avó Filomena soube,você deve imaginar,ficou totalmente desesperada.Caiu numa tristeza de dar dó.Passava os dias trancada em seu quarto,não queria ver ninguém.Quando o bebê nasceu,ela caiu em depressão profunda.As freiras cuidaram da menina, que veio a ser minha mãe, até que Filomena lentamente saísse do estado que se encontrava, e tomasse as rédeas de sua vida novamente.Neste meio tempo,meu bisavô veio a falecer de um ataque do coração.Filomena foi ao velório, e lá em meio as lágrimas, fez as pazes com a mãe e os irmãos. - Dona Filó faz outra pausa,suspira novamente.

- Depois disso, Filomena manda construir a casa que agora é de seu Pai Fernando.Dizia que queria ter seu próprio canto.O meu bisavô não cumprira a ameaça de deserdá-la,e ela herdara o suficiente pra manter sua filha.Dois anos após ela ter se mudado pra casa nova,aconteceu uma nova tragédia.Dizem que ela voltou a ter depressão,que estava muito estranha.O fato é que quando minha mãe voltou da escola,encontrou a casa pegando fogo e Filomena morta no terreno atrás da casa com um tiro na cabeça.

- Meu Deus vó! - disse Aline arrepiada - Ela se suicidou!

- Sim, o revólver foi encontrado ao lado do corpo dela.Ela foi enterrada lá mesmo,pois era o local que ela mais gostava de ficar.Foi um escândalo enorme e a família resolveu silenciar sobre a vida trágica de Filomena.Nossa família era influente e rica em uma cidade pequena,onde todo mundo sabe da vida alheia.Foi um golpe terrível pra eles.A casa permaneceu fechada por anos e anos,até que eu a vendi pra seu pai.

- Que história triste Vó! - disse Aline com lágrimas nos olhos.

- Eu te avisei - disse Dona Filó com um olhar distante - Mas por favor,não saia contando esta história por aí.Deixe minha avó descansar em paz.

Duas semanas após este ocorrido, Aline recebeu uma ligação telefônica que esperava ansiosamente:

- Aline? - dizia a voz do outro lado.

Aline reconheceria aquela voz em qualquer lugar do mundo - É Raul!

- Raul! Que bom ouvir sua voz! Descobri o mistério do túmulo! - disse ela radiante.

- Ah! Eu sabia que você conseguiria,mas minha tia já me contou tudo.

- Ah é? Pensei que eu mesma ia ter o prazer de te contar...Você é da família também.

- Não fique chateada,eu liguei pra te perguntar outra coisa. - Ele fez uma pausa longa,Aline achava que ia passar mal,o coração batia depressa demais e ela respirava com dificuldade.O tom de voz dele mudou:

- Sabe, eu acabei com minha namorada.E não consigo parar de pensar em você...Quer namorar comigo?

Aline se segurou na mesa pra não cair,se recuperou e começou a pular de felicidade:

- Claro que sim!Você ainda pergunta?

FIM

E aí o que acharam?
Semana que vem começa a copa...acreditam que estarei trabalhando todos os dias que tem jogo do Brasil?Mas lá tem uma TV pequena,dar pra se virar...
Boa semana!